Oficina

Música de Invenção

Wilson Sukorski / 09
A Invenção
Análise do conceito que migra da ciência gradualmente para as Artes - a invenção como motor da evolução da linguagem musical. Do romantismo para o atonalismo, do atonalismo para o serialismo e escolas nacionais, para o ruidismo, para a música concreta, eletrônica, eletroacústica, eletrônica ao vivo, estocástica e estatística, música automática, música pós moderna, música e multimídia, teatro musical, música digital, música digital e instrumentos transformados, net music, game music, geradores aleatórios controlados por funções complexas.

a partir do desenvolvimento dos meios elétricos (primeiramente), eletrônicos e mais atualmente digitais a Música passou de : entretenimento de uma elite letrada - para entretenimento de uma multidão nem sempre instruída, depois para commodity com valor de troca universal (as 5 Grandes Gravadoras da atualidade : Sony, BMG, Universal Music, EMI e Warner) e atualmente virou “streaming” e “download”. Os útlimos 150 anos foram marcados por fortes modificações advindas da tecnologia. Na música assistimos ao nascimento da Indústria Cultural.
Tese : Se a Arte é uma estratégia inventada pelos humanos para o refinamento da percepção e da sensibilidade, então nestes quase 100 anos de Indústria Cultural houve uma regressão incrível, causada principalmente pela imposição de uma “realidade” cultural de perpetuação do modelo do romantismo do século XIX.

Intro >

Prisioneiros do Romantismo

Invenção

Primeiro Momento

Operadores Matemáticos

(o impacto da evolução da matemática e dos conceitos da física moderna na organização e na reestruturação da lógica da composição musical)

Temperamento e Microtonalismo (Alois Haba, Julian Carrillo, Harry Partch)

Dodecafonismo : Original, Inversão, Retrogradação, Inversão da Retrogradação Transposição Estrutural – As 48 versões da série.

Serialismo : Modos de Intensidade e Duração (Olivier Messiaen) – Organização matemática dos parâmetros musicais. Descoberta das técnicas de Anton Webern. Forma derivada da geometria intervalar da série.

Serialismo Integral : matematização radical do espaço sonoro – em até 10 parâmetros – Stockhausen (Klavierstückes e Estudos Eletrônicos) e Boulez

Hardware Musical >> Telefone : microfone e alto falante. Theremin : Etherwave e baixo stick. Válvula : oscilador.Geradores de frequência (ciência). Ondes Martenôt. Sintetizadores RCA. Geradores e aparatos Rádio Köln. Moog Modular. Moog Poly. Moog Multi. Fairlight. Synclavier.

Conceitual >>

Musique Concrète : Final da segunda guerra - gravadores, microfones, sons do mundo real gravados e processados por estúdio de rádio (RTF depois GRM). Pierre Shaeffer – Traité des Objects Musicaux - Solfejo do Objeto Sonoro : escuta e espacialização sonora. Hoje é chamada de acousmatique. Pierre Henry - Sinfonia para um homem só. Música moderníssima.

Música Eletrônica Elektronische Musik - Alemanha por Karlheinz Stockhausen e Herbert Eimert. Sons puros de osciladores organizados em partituras mais ou menos transformados. No início controlado por serialismo integral.

Música Eletroacústica : O q é Revolucionário ? Manipulação do som e introdução sem volta na música ocidental do conceito de ruído e sons não instrumentais Construção de timbres partindo dos parciais e sua somatória (geradores de áudio) e mixagem. Aproximação do conceito de montagem (S. Eisenstein) – revolução da idéia de fruição da música. Música para orquestra de alto falantes (1950) Música como reprodução de si mesma. Meios tecnológicos como “driver” do discurso – gravadores e reprodutores. Multicanais e espacialização sonora. Motivação para a pesquisa em meios digitais.

Eletrônica ao Vivo >> John Cage, Sonic Arts Union

Invenção

Segundo Momento

Operadores Tecnológicos

 

Invenção

Terceiro Momento

Operadores Digitais

Digitalização e Distribuições Estatísticas Matematizando o micromundo musical : Lejaren Hiller, Iannis Xenakis, Max Mathews.

Síntese digital por algoritmos Music IVBF, Music V (69), Music XI, Csound, Cmix.

MIDI e Manipuladores Algoritmicos Aleatórios Família de Sequenciadores, Music M, Band in a Box, Max, Max MSP, Jitter

Música e Imagem Manipulação de programas híbridos, programas de síntese visual e de manipulação algoritmica por controle de sensores e outros inputs não tradicionais. Teclados MIDI e controle de imagens em tempo real.

Realizado no LabMIS - Laboratório de Mídia do Museu da Imagem e do Som em Ago de 2008.

Duração : 4 aulas de 3 horas de duração cada.

Público : máximo de 30 pessoas.

Material : projetor / telão e equipamento de áudio

Material Necessário