The Swarm / O Enxame

 

(Baseado no conto "Swarm" de Bruce Sterling, incluído no livro "Crystal Express" Arkham House Editions 1990)

 

música, tradução e direção

Wilson Sukorski

Roteiro

Personagens :

Atores

2 Investidores, Afriel, The Swarm, Simbiótico.

Atrizes

Mirny, Narrador, 2 Tradutoras.

Cena 1

A Nave dos Investidores

Música eletrônica radical...

Sem referências...

Narrador :

....Naquela época a humanidade quase toda vivia no espaço...Dois grupos disputavam a hegemonia : os Shapers e os Mecanistas...Eram duas estratégias diferentes de evolução da espécie, conflitantes e auto-excludentes...Enquanto os Shapers apostavam na evolução via controle e refinamento genético, os Mecanistas investiam muito mais em robótica e próteses cibernéticas...

Música sobe...

...Assim, separada por uma ideologia primordial, as duas espécies humanas viviam em constante disputa....Neste tempo o Shaper Capitão Doutor Simon Afriel realiza uma longa viagem em missão científica, a uma colônia de seres primitivos...Seus transportadores eram os Investidores, única raça a comerciar com as duas correntes, e dotados de uma capacidade tecnológica muito superior....

Música em Primeiro Plano...

Investidor e Doutor Afriel :

- Sentirei falta de nossas conversas. (Com a voz sibilada igual a de um réptil).

- Eu também. (Voz normal e sem emoções) .

Doutor Afriel :

- Zxtucimxz, difujsiijaz, prtizudzsazjgxz mhejoghjajda prajksitsz. (2 bips - Tradução : Voz sintética) - Nossas conversas foram muito úteis, e nem tive que pagar por elas, foi tudo grátis.

Investidor :

- DXnzantzj Brijkxiz Gjruzillll ! (mesmos 2 Bips e Voz Sintética) - Mas era apenas informação... (A linguagem alienígena fica em segundo plano e a tradução em primeiro) - Nós os Investidores mexemos com Energia e Metais preciosos. Dar preço e procurar por informações é um sinal de fraqueza e imaturidade de sua raça...

Doutor Afriel - (Mesmo procedimento anterior - quase só voz sintética) :

- Não tenho dúvidas que você está certo. Nós humanos somos crianças perto de outras raças, então uma certa imaturidade parece natural a nós.

Narrador :

...A Cabine da espaçonave era iluminada por luz ultravioleta. Era sua luz predileta...Sua aparência era de réptil com corpos grandes e pesados...Cada vez que concordavam ou ficavam excitados com algo, uma língua comprida saia rapidamente de suas bocas...

Investidor : (procedimento 1 - Voz sibilada como um réptil)

- Vocês até que não estão se saindo tão mal. (Voz magnânima) São o tipo de raça que gostamos de fazer negócios : jovens, espertos, plásticos, prontos para uma grande variedade de novos bens e experiências...Já tinhamos planos de contato há muito tempo atrás, mas sua tecnologia era muito limitada.

Afriel : (Voz sem emoção)

- As coisas estão diferentes agora. Faremos vocês ricos.

Investidor : (procedimento 2 - Voz em língua alienígena e tradução em primeiro plano)

- Entretanto...Dentro de 200 anos vocês estarão saudáveis o bastante para comprar de nós o segredo de nossas espaçonaves. Ou talvez sua facção Mecanista descubra através de pesquisa.

Afriel : (Com incômodo - procedimento 2)

- Não creia tanto em talento tecnológico. Considere a habilidade em línguas que nós os Shapers temos. Isso nos torna parceiros comerciais bem melhores. Para os Mecanistas todos os Investidores são iguais.

Narrador :

...O Capitão-Doutor Simon Afriel era um caso especial...Foi por isso que a facção dos Remodelados pagou os milhões de quilowatts necessários para sua passagem...Afriel era doutor em bioquímica e linguística alienígena e mestre em motores de propulsão magnética...Tinha 38 anos e concebido com a mais alta tecnologia disponível na época do seu nascimento. Seu equilíbrio hormonal tinha sido programado para longos períodos sem gravidade...Não tinha apêndice...A estrutura de seu coração tinha sido modificada para maior eficiência...Seu intestino era maior para produzir as vitaminas normalmente produzidas pelas bactérias...Engenharia genética e treino rigoroso na infância tinham produzido nele o QI de 180...Não era dos mais brilhantes do Conselho, mas um dos mais estáveis e respeitados...

Investidor : (procedimento 1 - Voz de réptil)

- É uma pena que um humano com suas características fique por 2 anos em um lugar tão inóspito...Mas por que escolheu o Swarm ? Eles nada podem te ensinar, porque não falam. Não tem nada para negociar, ferramentas, tecnologia. São a única raça que conheço que não tem inteligência...

Afriel : (Tentando esconder o jogo)

- Só este fato os torna um caso especial de estudo...

Investidor : (procedimento 2 - Voz alienígena no fundo e tradução em primeiro plano)

- Vocês estão tentando imitá-los ? Vocês se tornarão monstros...Tem todo o direito de fazê-lo, mas será muito ruim para os negócios...

Música Alienígena toca através dos

auto-falantes da Nave...

Esta Música se prolonga e toma todo o espaço.

 
 

Cena 2

A Chegada

Música Eletrônica Percussiva

e Estereofônica

Narrador :

...Haviam chegado...Um ser simbiótico chilreava ao lado do Comandante da espaçonave...Apoiado em suas seis pernas posteriores, gesticulava rapidamente com seus quatro pequenos braços...Seus olhos rudimentares se movimentando sobre hastes deviam ser acostumados à escuridão...O Comandante falava com a criatura em sua própria linguagem, Afriel esperava que ele falasse ao menos a língua dos Investidores...Teria que aprender outra linguagem, uma que era para ser falada sem língua...

Comandante (Numa língua ainda mais estranha - falada de boca fechada - depois em sua própria língua - tradução em primeiro plano) :

- O simbiótico não gostou de sua chegada. Houve aparentemente alguns problemas envolvendo humanos num passado recente. Entretanto eu o convenci a admití-lo no Ninho. O pagamento por meus serviços diplomáticos será feito pela sua facção assim que eu retornar ao seu sistema solar...

Afriel (procedimento 2 - língua alienígena e tradução em primeiro plano) :

- Eu agradeço Autoridade. Por favor passe ao simbiótico minhas mais solidárias saudações, minha intenção de paz e de humildade...

Narrador :

...Enquanto falava o simbiótico avançava sobre ele mordendo violentamente sua perna esquerda, Afriel se afastou ficando na defensiva...O simbiótico ficou num canto comendo calmamente a perna de sua calça...

Música fica em primeiro plano

Comandante (procedimento 2) :

- É conveniente se acostumar e compor com seus amigos do Ninho. Isso é necessário, ou de outra forma será classificado como intruso e os guerreiros do Swarm te matarão sem pestanejar.

Narrador :

...Afriel relaxou rápido e tocou de leve os arranhões da mordida, torcendo para ninguém notar sua fraqueza...

Comandante (procedimento 2) :

- Abriremos a comporta.

Narrador :

...A porta se abriu e Afriel ficou observando a cabeça do simbiótico, ele tinha boca e narinas, olhos atrofiados presos a hastes, pequenos fios que pareciam antenas de rádio, além de duas outras antenas enroladas cuja função desconhecia...

Comandante (procedimento 1) :

- Boa Sorte !

Narrador :

...O simbiótico saiu da nave e Afriel o seguiu...A criatura nada disse mas continuava a fazer um ruído como que rosnando...Afriel colocou seus óculos infravermelhos...A gravidade artificial da nave parou e ele pôde sentir a leve gravidade da rede de asteróides do Swarm...Parado na porta do túnel estava um animal com o corpo na forma de um disco, e do tamanho de um elefante...Afriel podia ouví-lo respirar...Esperou até que Afriel passasse e depois se encaixou firmemente na entrada do túnel...Suas múltiplas pernas fixaram-se em buracos na parede...

Música em primeiro plano...

Narrador :

...A nave dos Investidores se foi...Afriel ficou ali dentro de um dos milhões de planetóides que circundavam a estrela gigante de Belteugeuse - formando um anel que tinha 5 vezes a massa de Júpiter...Uma fonte de bem estar que sobrepujava em muito ao Sistema Solar, e que pertencia totalmente ao Swarm...Ao menos nenhuma outra raça os haviam desafiado desde que a memória dos Investidores podiam lembrar...

Música em primeiro plano...

...Afriel foi seguindo pelo corredor...Parecia deserto...Mesmo com seus óculos ele não podia ver muito longe...Raspando pelas paredes flutuava para baixo no corredor...

Música fecha a Cena 2...

Cena 3

Dra. Mirny

Música composta por sons eletrônicos...

Lembra sons de estranhos animais...

Colônias de formigas...

- Dr. Afriel ! É por aqui. (Voz Feminina).

Narrador :

...Primeiro viu um par de jovens simbióticos andando em sua direção apenas tocando a ponta dos pés na parede da caverna...Depois uma mulher usando óculos de proteção iguais ao dele...Era jovem, atraente no jeito asséptico e anônimo dos Remodelados...Balbuciou algo na linguagem dos simbióticos, e eles pararam esperando...

Mirny :

- Você não trouxe nenhuma bagagem ?

Afriel :

- Recebi sua mensagem quando estava a caminho. Trouxe só a roupa que uso e alguns itens no bolso.

Narrador :

...Ele tentou não ofendê-la...A inteligência de Galina Mirny era de mais de 200. Homens e mulheres de tal brilho eram sensíveis e instáveis...Alta inteligência era uma das estratégias dos Shapers na luta pelo domínio cultural...Tinha suas desvantagens...Tentaram formar Supergênios mais muitos deles abandonaram as colônias, então a facção parou de fabricá-los...

Mirny :

- Minha roupa original foi comida pelos escaravejos simbióticos durante os problemas do ano passado...Eu geralmente ando nua, mas não queria assustá-lo com um show de intimidade.

Afriel :

- Prefiro também ficar nú. As roupas só são úteis pelos bolsos. Tenho alguns itens de minha propriedade, mas a principal está na cabeça. Eu sou um Shaper. Pode mostrar um lugar seguro onde colocar minhas coisas ?

Mirny :

- Está cometendo seu primeiro erro, Doutor. Não há espaços particulares aqui. É o mesmo erro cometido pelos agentes Mecanistas, aquilo que os matou. Não há conceito de propriedade e privacidade aqui. Este é o Ninho. Se pegar qualquer parte dele para si - para guardar equipamentos, dormir ou qualquer outra coisa - então será encarado como intruso, um inimigo...Os dois mecanistas - um homem e uma mulher - tentaram ocupar uma caverna vazia para colocar seus computadores. Os guerreiros quebraram as portas e os devoraram. Os escaravelhos então comeram todo seu equipamento : vidro, metal e tudo...

Afriel :

- Deve ter custado uma fortuna trazer todo este equipamento...

Mirny :

- Eles são mais ricos que nós, suas máquinas e a mineração. Tinham um computador que estava aprendendo a linguagem dos "rabos de mola" mais rápido que eu...

Afriel :

- Mas você sobreviveu. E suas fitas e relatórios, principalmente os primeiros quando ainda tinha grande parte de seu equipamento - foram de alto interesse...Você se tornou uma celebridade no Conselho. Vejo que fez grandes progressos em se comunicar com os simbióticos, já que só eles falam pelo Ninho.

Mirny :

- Há pelo menos quinze tipos de simbióticos aqui. Esses são chamados de "rabos-de-mola". São selvagens, e receberam atenção dos Investidores só porque ainda conseguem falar. Foram uma raça importante no espaço há um tempo atrás, mas se esqueceram...Foram absorvidos e se tornaram parasitas...

Música em primeiro plano...

 
 

Cena 4

A Exploração da Caverna

A mesma música anterior...

Acrescida de percussões muito eletrônicas...

Inesperadas...

Narrador :

...Eles resolveram explorar os túneis que formavam o Swarm...Afriel seguia meio sem jeito, Galina flutuava com facilidade...O ar era quente...Sairam em uma câmara de uns 80 metros por 20 de diâmetro...Estava cheia de habitantes do Ninho...

Música em primeiro plano.

Ruídos fortes se aproximam, se afastam

movendo-se na panorâmica estéreo).

Narrador :

...Havia centenas deles...A maioria trabalhadores de oito pernas, peludos e do tamanho de um urso grande...Aqui e ali havia alguns guerreiros : monstros peludos do tamanho de um cavalo, com uma cabeça em forma de almofada e dentes poderosos...A poucos metros os trabalhadores estavam carregando um membro da casta dos sensores : um ser de cabeça imensa e achatada, presa a um corpo atrofiado que se resumia quase só a pulmões, olhos imensos e pelos compridos no topo da cabeça que pareciam antenas flutuando no ar...Um ser assustador com uma cabeça careca, sem face, passou por eles...A frente de sua cabeça era um pesadelo : presas poderosas e ventosas pelas quais saia ácido...

Mirny :

- Um construtor de túneis...Pode nos levar mais para baixo. Venha comigo.

Música se resume ao respirar da Criatura.

Contra um fundo eletrônico...

Narrador :

...Seguram nos pelos da coisa e foram sendo levados tunel abaixo...

Afriel :

- Deve haver milhares deles.

Mirny :

- Eu disse cem mil em meu último relatório, mas isso foi antes de haver explorado todo o Ninho. Agora acho que podem ser um quarto de milhão. Este asteróide é do tamanho de Ceres.

Afriel :

- A população está aumentando, então ?

Mirny :

- Sim. Eles estarão lançando uma nova colônia irmã em pouco tempo. Existe uma dúzia de machos e fêmeas aladas na câmara perto da Rainha. Quando se forem formarão novos Ninhos. Vamos vê-los agora...Estamos entrando num jardim de fungos...

Música muda totalmente...

Buzz e Zins passando pela panorâmica...

Narrador :

...Entraram numa segunda câmara muito maior que a primeira...As paredes de cima abaixo e para os lados estavam lotadas de fungos...Os mais comuns eram parecidos com barricas inchadas, outros planos e com múltiplas folhas, além de um tipo espagueti longo que flutuava na brisa cheirosa...

Mirny :

- Ainda não estou certa se isso é uma planta ou uma espécie de massa bioquímica. O ponto é que cresce à luz do Sol fora do asteróide. Uma fonte de alimento que cresce no espaço aberto ! Imagine o que poderia ser feito com isso lá em nosso Anel...Não é comestível em si, tentei uma vez com um pequeno pedaço, e é como tentar comer plástico. Mas os trabalhadores regurgitando e acrescentando a fermentação em seus estômagos tornam essses fungos perfeitamente comestíveis...

Música em primeiro plano.

Mirny :

- Você aprenderá a comer isso. Mais tarde vou ensiná-lo como solicitar comida dos trabalhadores. É só uma questão de reflexo, não é controlado por feronômios como a maioria de seu comportamento. Eu espero que as amostras de feronômios que eu enviei tenham valido o preço do transporte.

Afriel :

- Oh ! Sim. A química de sua estrutura é fascinante. Conseguimos sintetizar a maioria dos componentes. Eu próprio trabalhei na equipe de pesquisa...

Narrador :

...Como um investimento para o futuro, os Shapers enviaram pesquisadores a todas as dezenove raças alienígenas descritas pelos Investidores. Isso custou carríssimo...Em muitos casos só dois ou tres pesquisadores podiam ir, em sete casos só um...Para o Swarm a doutora Galina foi escolhida...Acreditavam na sua boa fé e inteligência para mantê-la viva e sã...Não sabiam se suas descobertas podiam ter qualquer aplicação prática, mandaram-na assim mesmo mal equipada, sózinha, antes que outra facção fizesse e descobrisse algo de fundamental importância. E a Dra. Mirny tinha feito essa descoberta...O que tornara sua missão assunto de segurança no Conselho...Por isso que Afriel veio se juntar a ela...

Mirny :

- Você sintetizou os componentes ? Por que ?

Afriel :

- Talvez só para provar que podíamos fazê-lo.

Mirny :

- Ora, pare com jogos de palavras. Eu vim aqui tão distante, particularmente para fugir desse tipo de jogo. Diga a verdade.

Afriel :

- Ok. Você precisa saber que fui nomeado pelo Conselho para levar a cabo um experimento que pode colocar em risco nossas vidas.

Mirny :

- Então você é da Segurança ?

Afriel :

- Minha patente é Capitão.

Mirny :

- Tudo é uma questão de segurança para tipos como você. Não vou te mostrar mais nada. Aqui no Ninho, estas criaturas não são inteligentes , Capitão. Não podem pensar, não podem aprender. Não sabem distinguir entre o Bem e o Mal. Não podem se tornar joguetes numa disputa de poder entre dois grupos rivais a anos-luz de distância.

Afriel :

- Naturalmente eu concordo com você, doutora. Mas veja estes Mecanistas. Algumas de suas facções mais radicais já são mais do que meio máquinas. Você esperaria comportamentos humanitários de sua parte ? São frios. Poderiam cortar uma criança em pedaços e nunca sentir sua dor. E eles nos odeiam.

Mirny :

- Isso é conversa dupla, Capitão.

Afriel :

- Nós vivemos no espaço - um ambiente não natural. Nossas mentes são nossas ferramentas. Nós os Shapers seremos capazes de unir a raça humana da maneira mais humana.

Mirny :

- Mas que arrogância, Capitão. Você quer uma sociedade perfeita ? Então pense o Swarm. Está aqui. Sempre aquecido e escuro, cheirando bem, e a comida fácil de conseguir. Tudo é infinita e perfeitamente reciclado. Tudo que é perdido são os corpos dos mortos e um pouco de ar. Uma colônia como essa pode se manter inalterada por centenas de milhares de anos. Centenas......de milhares........de anos. Quem ou o quê se lembrará de nós, ou nossa estúpida facção em, digamos, mil anos ?

Afriel :

- Essa não é uma comparação válida. Em mil anos nos tornaremos ou máquinas ou deuses.

Narrador :

...O fazedor de túneis se moveu para o fundo do asteróide...Eles chegaram perto das câmaras dos pupos, onde as pálidas larvas se moviam dentro de casulos de seda...Passaram pelo jardim principal de fungos, e pelo cemitério onde o ar estava quente pela decomposição dos corpos...Soltaram-se e flutuaram por si mesmos...Mais tarde visitaram a câmara dos príncipes e princesas aladas...Um grande espaço onde as criaturas de uns quarenta metros flutuavam...Seus corpos eram segmentados e metálicos...Pareciam mais naves experimentais sendo construídas do que algo biológico. Os trabalhadores os alimentavam sem cessar...

Música muda para algo aéreo...

...A doutora pegou um pouco de fungo das mãos de um dos trabalhadores, apenas batendo em suas antenas...Deu a maioria para os rabos-de-mola... Afriel pegou um pouco e provou...Era meio duro mas muito gostoso, como carne defumada...

Afriel :

- Comida não é problema. Mas onde dormir ?

Mirny :

- Em qualquer lugar. Aqui e ali existem cavernas desocupadas e nichos. Mas suponho que queira ver a câmara da Rainha.

Música com ruídos industriais/orgânicos ?

A Base é um ruído muito grave...

Cena 5

O Plano

Música com ruídos industriais/orgânicos ?

Continua...

Narrador :

...Sairam numa imensa câmara escura...brilhava em infravermelho devido ao calor do corpo imenso da Rainha...Era a fábrica central da colônia...O fato de quente e feita de carne não retirava sua natureza essencialmente industrial...Toneladas de fungos pré-digeridos entravam por uma ponta... O corpo composto por anéis segmentados digeria e processava o alimento ondulando e fazendo ruídos parecidos com o de uma estranha máquina...Do outro lado uma fila de ovos ia saindo como uma linha de montagem...Os trabalhadores limpavam com cuidado os ovos e os transportavam para espaços especiais...Cada ovo tinha o tamanho de um tronco humano...O processo seguia seu curso sem fim...Não havia dia ou noite no centro escuro do asteróide...O fluxo de produção era constante e fixo como uma mina automática...

Afriel : (excitado)

- É por isso que estou aqui ! Olhe isso Doutora. Os mecanistas tem máquinas cibernéticas de mineração que estão gerações à frente das nossas , mas aqui no centro deste pequeno mundo, existe uma tecnologia genética que se auto alimenta, auto mantém, move-se eficientemente, infinitamente e sem inteligência. É uma ferramenta orgânica perfeita. A facção que utilizar estes trabalhadores incasáveis fará de si mesma um titã industrial. E nosso conhecimento em bioquímica é o melhor. Nós os Shapers faremos isso !

Mirny :

- E como fará isso ? Transportará uma rainha fertilizada até o Sistema Solar ? Será difícil mesmo que os Investidores queiram fazê-lo, e eles não farão...

Afriel :

- Não preciso de um Ninho completo. Só preciso da informação genética de um ovo.

Mirny :

- Mas os trabalhadores são inúteis sem os feronômios de controle. Precisam de chaves químicas para ligar seus modos de comportamento...

Afriel :

- Exatamente. Eu tenho esses feronômios sintetizados e concentrados. O que é necessário fazer agora é testá-los. Preciso provar que os trabalhadores farão o que eu mandar. Depois tenho que trazer esta informação até o Anel. Os Investidores não aprovam mas podemos enganá-los e melhor vencer os Mecanistas em seu próprio jogo.

Mirny :

- Você trouxe os feronômios aqui ? Os Investidores não suspeitaram quando viram ?

Afriel :

- Eu trouxe aqui na perna. Veja essa veia de varicose, algo comum em quem vive no espaço. A veia foi bloqueada artificialmente e tratada. Cada veia tem dez colonias separadas com bactérias que produzem cada uma um diferente feronômio do Swarm. Os Investidores me investigaram até como raios X e nada descobriram. Tenho um equipamento médico que inclue uma seringa. Posso extrair e testar os feronômios, depois esvaziar as veias e enchê-las com o material genético. Essse material sobreviverá à viagem...Assim teremos milhões de trabalhadores; guerreiros até, se precisarmos; ou até naves orgânicas adaptadas dos alados...

Mirny :

- Você realmente pretende fazer isso ? Mas é rapto. Você está falando em criar uma raça escrava.

Afriel :

- Não jogue com as palavras, Doutora. Isso nada causará nada à Colonia. Eu admito o assassinato de um ovo, o que é um crime tão grande quanto um aborto humano. Você chamaria a clonagem de material genético de rapto ? Eu acho que não. E quanto a raça escrava ? Ora, essas criaturas nada mais são que robôs genéticos. São tão escravos como as armas lasers e os tanques de carga. Na pior das hipóteses serão nossos animais de estimação...Eles simplesmente trabalham e não importa se é para nós ou para o Swarm...Além disso, eles nunca saberão aqui do que está acontecendo a muitos anos-luz de distância...

Narrador :

...Afriel pensou na extraordinária riqueza do sistema de asteróides de Betelgeuse...Um dia virá em que os humanos se deslocarão para as estrelas em massa, em breve...Será bom conhecer os pontos fortes e fracos de cada raça com potencial para ser rival...

Mirny :

- Vou ajudá-lo o melhor que puder. Já viu o suficiente nesta área ?

Música fica em primeiro plano...

Fecha a Cena.

 
 

Cena 6

O Swarm

Música mais rápida...

Toques de instrumentos mais conhecidos...

Narrador :

...Não havia dias na série de horas que se seguiam...Havia pequenos intervalos de sono, primeiro separados, depois juntos...O sentimento sexual sendo uma âncora para sua humanidade comum...Pareciam como germes na corrente sanguínea do Swarm...O tempo se transformou em mêses e depois perdeu qualquer sentido...

Música em primeiro plano...

...Os testes eram complexos, mas não impossíveis...O primeiro feronômio era um simples chamado de agrupamento...Os trabalhadores então aguardavam novas instruções...Para funcionar bem os feronômios tinham que ser ministrados em série como instruções de computador...O nono era o de maior possibilidade industrial fazendo os tuneleiros abrir os túneis e trabalhar...O décimo causava irritação violenta nos guerreiros...Em seu esforço de trabalho os dois pesquisadores passavam quase todo o tempo acordados...Afriel estava exausto, a muito não dormia...

Mirny :

- Os Investidores voltarão. Logo.

Narrador :

...a despeito de seu treino Afriel nunca conseguiu aprender muito da linguagem dos rabos-de-mola...Um grupo de alados tinha sido lançado recentemente, e Mirny fazia grandes progressos na observação, tentando memorizar o máximo possível de dados...

Mirny :

- Você vai dormir ?

Afriel :

- Sim.

Mirny :

- Não quer vir comigo ? Há algo importante acontecendo. Uma nova caverna, que parece ser a de uma nova casta estranha.

Afriel :

- Talvez seja um novo parasita. Vá verificar se quiser. Estarei aqui esperando por você.

Narrador :

...Quando acordou, Mirny não tinha ainda voltado...Primeiro visitou o lugar onde os Investidores pousariam, como que para se certificar...Mirny os distrairia por alguns momentos, ele pegaria o material genético de um ovo mais fresco possível...Estava comendo numa caverna lateral quando os simbióticos chegaram alvoroçados...

Afriel : (Numa linguagem de boca fechada e tradução em primeiro plano - procedimento 3).

- O que vocês querem ?

Simbióticos (procedimento 3 - muito transformado) :

- Doadora de comida não bem...Não trabalhar, não dormir...Não mover...Podemos comer agora ?

Narrador :

...Os rabos-de-mola levaram Afriel com pouco entusiasmo até uma caverna vazia muito longe...Era estranho uma caverna vazia no Swarm...Guardiões na porta não o deixaram passar...Ficou numa caverna ao lado...Mirny não voltou ...Esperou por muitas horas...O seu corpo não estava no espaço do lixo...Os Investidores poderiam chegar a qualquer momento....Decidiu voltar sem ela...Poderia contar qualquer história...De repente chegaram alguns guerreiros...Forçaram-no a acompanhá-los...

Música vai ficando mais tensa...

...O levaram até o túnel recém escavado...Estava ocupado agora por uma massa branca de carne...No centro da massa havia uma boca e 2 narinas, olhos espertos presos em hastes...Longos tendões terminavam em pequenos plugs...Um dos plugs estava enfiado dentro da boca de Mirny que flutuava no ar, branca como cêra...Outro tendão estava plugado na cabeça de um trabalhador mutado...Ele falou com a voz de Mirny...

Música fica mais tensa e corta.

Silêncio e pequenos sons eletrônicos...  

Cena 7

A Conversação

Sons eletrônicos em direção ao grave...

Aumentada a densidade...

The Swarm : (Voz de Mirny modificada)

- Capitão Doutor Afriel...

Afriel :

- Galina ?

Swarm :

- Não tenho esse nome. Pode me chamar de Swarm.

Narrador :

...Afriel vomitou...A massa branca era um imenso cérebro...Tão grande que quase ocupava toda a sala...

Swarm :

- Estou acordado novamente. Fico feliz em ver que não há grande perigo a controlar. É apenas rotina...Apenas mais uma raça jovem.

Afriel :

- O que é você ?

Swarm :

- Eu sou o Swarm. É isso. Sou uma de suas castas. Uma ferramenta, uma adaptação. Minha especialidade é inteligência. Antes não era necessário. É bom ser necessário de novo.

Afriel :

- Estava aqui o tempo todo ? Por que não nos procurou antes ? Nós negociaríamos com você. Não temos más intenções.

Swarm :

- Ah ! Doutor. (rindo) . Adoro ironias. Pelo que li nas memórias de sua companheira, quer fazer o Swarm trabalhar para você e sua raça. Quer levar nossas informações e usá-las. É um excelente plano...

Afriel :

- Você é um ser inteligente ! Não há razão para nos agredirmos. Nós podemos ajudá-lo.

Swarm :

- Sim. Você será de grande ajuda. Existem períodos onde a inteligência floresce no Universo. A inteligência é um grande mal. Trouxe todo o tipo de problemas para nós.

Afriel :

- O que você quer dizer ?

Swarm :

- Vocês são uma raça jovem. Orgulhosa de sua esperteza. Como sempre, falharam em ver que a inteligência não é um traço necessário da sobrevivência. Ela força à exploração, ao desenvolvimento. E é exatamente isso que fará com que vocês se extingam. Vocês ingenuamente supõem que podem alimentar sua curiosidade indefinidamente. É uma velha história, seguida por incontáveis raças antes da sua. Dentro de uns mil anos sua raça desaparecerá.

Afriel :

- Você tentará nos destruir ? Quero dizer que não será uma tarefa fácil.

Swarm :

- De novo você perdeu a linha. Conhecimento é poder. E você pensa que sua frágil forma : pernas primitivas, braços e mãos sem função, seu pequeno cérebro podem conter todo esse poder ? Sua forma humana está ficando obsoleta. Seus próprios genes estão alterados. Você mesmo Capitão-Doutor não passa de um experimento grotesco. Em cem anos será uma relíquia. Em mil nem uma memória.

Afriel :

- E qual é o caminho ?

Swarm :

- Não sei. Outras raças passaram, transcederam o Ser. De alguma forma eu não posso sentir mais sua presença. Não fazem mais nada, não interferem em nada...É como se não existissem mais. Estão para todos os efeitos mortas. Se viraram Deuses ou fantasmas, não me importa. Não quero me juntar a eles.

Afriel :

- Então ?

Swarm :

- A inteligência é uma faca de dois gumes. É útil até certo ponto. Ela interfere nos negócios da vida. Vida e inteligência não se misturam bem. Uma não é o ponto máximo da outra. Eu sou uma ferramenta. Quando começou seus experimentos com os feronômios o distúrbio químico ficou aparente para a Rainha. Ela ligou certos padrões genéticos em seu corpo e eu renasci. Sabotagem química é um assunto sério, e só pode ser resolvido através da inteligência. Sou um cérebro completo pronto para ser mais inteligente que qualquer raça jovem. Em três dias estava auto-conciente, em cinco tinha decifrado estas marcas em meu corpo que é a história da minha raça...em cinco dias e duas horas reconheci o problema e sabia o que fazer. Estou fazendo agora. Tenho seis dias de idade...

Afriel :

- O que pretende fazer ?

Swarm :

- Sua raça é vigorosa. Dentro de quinhentos anos poderão competir conosco. Precisamos fazer um estudo de tais rivais. Eu o convido a fazer parte de nossa comunidade em bases permanentes.

Afriel :

- Você pensa que trairei minha espécie e me tornarei escravo em suas mãos ?

Swarm :

- Ofereço a possibiliade de se tornar um simbiótico. Você e sua companheira formam um par perfeito. Me pouparão um grande trabalho de clonagem... Sua escolha é simples. Pode continuar inteligente, um ser vivente, ou se tornar um boneco sem mente como sua parceira. Eu retirei todas as funções de seu sistema nervoso, e posso fazer o mesmo com você.

Afriel :

- Mas eu posso me matar.

Swarm :

- O que seria desagradável, pois teria que implantar toda uma tecnologia de clonagem. Sou capaz disso, mas é trabalhoso. Sou um artefato genético com certas travas que previnem de que eu jogue contra o Ninho. Por isso meu tempo de vida é limitado, só mil anos. O tempo necessário para que sua raça chegue ao apogeu e se vá. Então a paz voltará ao Universo.

Afriel :

- Só mil anos ? E então ? Matará todos meus descendentes, já que não haverá uso para eles.

Swarm :

- Não. Nunca matei nenhuma das quinze outras raças que pegamos para estudos defensivos. Não foi necessário. Veja este escaravelho flutuando perto de sua cabeça, veja está comendo seu vômito. Há quinhentos milhões de anos atrás seus ancestrais fizeram a galáxia tremer. Quando nos atacaram usamos sua própria espécie contra eles. Eram totalmente leais a nós e este era o único mundo que conheciam...Se sua raça quiser nos explorar faremos o mesmo.

Afriel :

- Nós humanos somos diferentes.

Swarm :

- Certamente que sim.

Afriel :

- Milhares de anos não nos modificarão. Você morrerá e nós tomaremos conta do Ninho. Estaremos comandando as coisas em poucas gerações a despeito de você. A escuridão não faz a mínima diferença.

Swarm :

- Certamente Capitão-Doutor. Em alguns milhares de anos seus descendentes aqui serão os únicos espécies da raça humana. Seremos generosos com sua imortalidade. Acolheremos vocês para preservá-los.

Afriel :

- Você está errado Swarm. Você está errado à respeito da inteligência, assim como está errado a respeito de tudo mais. Talvez outras raças tenham se tornado parasitas, mas nós humanos somos diferentes.

Swarm :

- Certo. Então você aceita o desafio ?

Afriel :

- Sim aceito e vencerei você.

Swarm :

- Explêndido. Quando os Investidores voltarem mandarei os rabo-de-mola dizerem que matararm vocês, e dizer ainda que nunca mais voltem. Eles nunca voltarão. Os humanos serão os próximos a chegar.

Afriel :

- Se eu não vencer você, eles vencerão.

Swarm :

- Talvez. Fico feliz em não ter que absorver você. Eu sentiria falta da conversa...

 

Wilson Sukorski

Fevereiro 95.