DVD (5.1 e 2.0) + imagens incidentais

code::name urubu é uma viagem metafísica aos confins do surreal nacional e suas consequentes reverberações no abstrato substrato temporal e composicional. Desconstruções desta eterna miséria. Nem o fim, nem o início : a passagem.

A ideía do DVD nasceu como uma torrente de nomes/valise e sentimentos muito indicativos, formando um todo com 19 músicas (duração total de 81 minutos) e se encaixaram perfeitamente dentro das minhas pesquisas e inquietações.

Assim, code::name urubu – mixa : eletrônica digital (sínteses diversas), instrumentos acústicos (violão, lira), eletroacústicos (theremin, baixo tótem, guitarra), sons naturais processados (urubus, formigas e peixes elétricos) e pequena participação de voz. Foram todas compostas e gravadas durante o ano de 2008 – mixada em 5.1 e os vídeos criados em janeiro e fevereiro de 2009.

O DVD traz versões em 5.1 (Dolby Surround) e em 2.0 (o tradicional estéreo).

Acompanha cada música, ainda, seus respectivos vídeos incidentais, muito simples, pequenas ilhas-imagens, que se relacionam temporalmente (6 sub-seccionamentos áureos – 0,618034, sobre a duração de cada música ) assim, tal pura sintaxe, a imagem é transformada em imagem incidental que pontua temporalmente a música sem ilustrá-la ou tornar-se objeto de fluxo narrativo. As imagens são todas baseadas ao redor e em zooms de maior ou menor escala, na figura mítica, imponente e nojenta da ave rapina em questão.

Este DVD áudio é uma soma de esforços, da Petrobrás, através do PPC Programa Petrobrás Cultural, do MinC através da Lei Rouanet, do LabMIS que acolheu sua finalização em 5.1 e de vários amigos e companheiros de empreitada musical, por sons nunca antes navegados.

Wilson Sukorski, fevereiro de 09

Breve Descrição das Músicas

• Masmorra-Capacete- de-Imersão (08) - (4'41) música eletrônica digital – reflexão sobre a temporalidade e a espacialização sonora – composta através do software de geração digital CSound – algoritmos FM e AM - + instrumentos VSTis. Imersão masmorrenta, masmorrífica, masmocrítica.

•  Urubú Flechado (08) – (3'27) música para guitarras elétricas e eletrônica digital - síntese sonora aditiva e processamento digital.

•  Corpuschado (08) - (4'48) para ataques fortes e surpresas irrelevantes. Discurso atemporal sobre os corpos fechados e outras blindagens pós.

•  Macumgolé (08) - (7'50) macumba e parangolé. Para liras transformadas e reprocessamento granular. Instrumento musical tocado fora do contexto infantil. Criança sem criança.

•  Jungle Putri (08) – 3'28) para guitarras e eletrônica digital. Reflexão sobre as florestas inundadas e sua fétida fermentação natural.

•  2 Milhões de Formigueiros (08 – (3'06) paradigma eletrônico das diversas sonoridades contidas num formigueiro tradicional, gravado em tomada digital e transformado via GRM Tools.

•  Poliertão (08) – (3'09) polissêmico sertão. Poli sertão. Poliertão. Música eletrônica digital composta a partir de algorítmos de síntese conhecidos como Cellular Automata (autômata celular).

•  Banhadim (08) - (1'34) banhados digitais. Música malemolente para eletrônica digital e efeitos sonoros reprocessados.

•  São Rosa (08) – (1'22) homenagem aos nomes do demo de (São) João Guimarães Rosa. O demônio é o contrário de tudo que é bom. O coisa ruim.

•  Estudos Mórbidos (08) – (2'28) estudos para polirritmia e eletrônica digital. Timbres criados com o software de síntese digital CSound e reprocessados em estúdio. Solo de flautas indígenas brasileiras reprocessadas digitalmente.

•  Sincretético (08) – (7'22) para violões e música eletrônica digital. Leitura bem humorada da tradição do violão nacional e suas consequentes bossas e outras barbaridades em nome do popular elo perdido.

•  Peixes Zoom (08) – (3'58) música composta com os sinais emitidos pelos peixes elétricos do amazonas : adontosternarchus balaenops, eigenmannia virescens, electrophorus electricus, gymnotus anguilaris, apteronotus albifrons, sternarchella terminalis, sternarchogiton nattereri, entre outros. Transformações digitais via instrumentos VSTi.

•  Mortriarcado (08) - (5'20) morte e matriarcado. C(a)onto épico de um tempo perdido no tempo, vozes de um passado imortal e desmaterializado que agora apenas flutua no presente.

•  Lambe-Lambe (08) – (4'13) música totalmente composta com material vocal transformado via síntese granular e estratégias de montagem (cut and paste). Imagens de desfiladeiros dos teus contornos em geometrias naturais.

•  Estudos Mórbidos II (08) – (2'33) estudos para polirritmia e música digital. Composta com o software de síntese sonora CSound e theremin solista.

•  Eletro Vodoo (papiano .2) (08) – (8'07) música composta com sons gravados em piano com auxílio de atuadores tipo “e-bows” especialmente desenvolvidos para o projeto e outros truques. Proto teste para a instalação sonora interativa “papiano”, a ser realizada em 2009.

•  Da Peste (08) – (4'47) música para theremin e eletrônica digital. Utilizando técnicas de síntese subtrativa e FM para a criação de timbres corrosivos. Sobre o efeito das diversas pestes contemporâneas e sua correlação com o universo do pós ser.

•  Escuridão Retiniana (08) – (3'57) música para ser apreciada no escuro. O vazio é um processo retiniano :: a surdez é uma hipertrofia da audição. Ouvir e calar. Ouvir e silenciar. Silêncio retiniano. Síntese aditiva, FM e AM.

•  Cova Rasa (08) (3'01) conhecida parte que te cabe neste latifúndio. Uma cova com palmos medida é a cota menor que tiraste em vida. O fim e o recomeço desta longa digestão. Um urubu enterrado, as asas expostas ao sol. Cova rasa, triste final.

Todas as composições são de autoria de Wilson Sukorski ® Ed. Demolições Musicais / 08.

Wilson Sukorski : violão, lira, theremin, guitarra, baixo tótem, teclado e programação, concepção visual, tratamento de imagens e montagem.

Mixagem Estúdio LabMIS : Victor Hugo Guidini & Wilson Sukorski

 

Agradecimentos :

LabMIS, Daniela Bouso, Gisela Domsche, Regiane Cantoni, Caetano Dias, Ruggero Andrea Ruschioni, Pablo Waldman, Pepê da Mata Machado, Júlio C. Estevam de Melo, Luiz Duva, Mimi, Isabela Paulucci, Beth, Vanessa, SESC-SP, Danilo Santos de Miranda, Rosana Cunha. Sérgio Pinto.